sexta-feira, 28 de março de 2008

Resposta

A pedido do mesmo, publico o texto que recebi por e-mail e que está devidamente identificado:

Mas que coisa, eu também sou Jorge Roque mas não fui eu que escrevi isto, no mínimo insultuoso e maldizente, até parece copiado de uma qualquer coisa que já li mas não me lembro e estando Deus em todo o lado será que só os que frequentam a Igreja todos os dias è que são boas, honestas e humildes pessoas, quando nem sequer aplicam o que já deviam ter aprendido, por exemplo os Dez Mandamentos?

De qualquer forma gosto bem mais das acções bem fundamentadas, inteligentes e que preservem o nosso património e salvaguardem as memórias do nosso povo do que apenas palavras, sendo que lições de modernidade, de trabalho consequente e objectivo para o bem comum poucos me podem dar!

E agora uns exemplos:

Porque é que não alargaram a Igreja do Santuário de Fátima e construíram uma nova, que por sinal até nem lá cabem todos os fiéis e muitas vezes têm que apanhar chuva, frio e sol escaldante?È bem mais recente que a Igreja de Valverde!

Porque è que recentemente restauraram e modernizaram a Sé de Castelo Branco e não a alargaram?A população de Castelo Branco e da Diocese de Castelo Branco/Portalegre não cabe lá!

Porque è que a Igreja do Fundão foi restaurada e modernizada quando è manifestamente insuficiente para a população da cidade?

Porque è que o Sr. Bispo da Guarda afirmou recentemente que è importante preservar o património, no caso a recuperação da torre sineira e sinos da Sé da Guarda ( que não é da igreja) e não defendeu que a torre de pedra e seus sinos, como coisas já ultrapassadas, deveriam ser substituídas por uma moderna torre metálica ou de betão e um informatizado e ultra-avançado sistema sonoro?

Como conclusão, e seguindo o rumo dos defensores da destruição da Igreja de Valverde, todas as pessoas que tomaram as decisões dos exemplos referidos atrás devem de certeza ser idiotas, ignorantes, tolos, de compreensão lenta e "pregadores vivos e iluminados de uma cultura paupérrima e cheia de nada"!

P.S.: Aos poucos poderei apresentar exemplos fotográficos de recuperações adequadas de Igrejas de aldeias do nosso Distrito, também de outras zonas de Portugal se necessário, onde manifestamente a inteligência, sabedoria e bom senso vingou e os maus exemplos não foram seguidos. E podem ter a certeza que sei do que estou a falar!

Nuno Jorge Roque Cardoso
(identificação completa e clara)

1 comentário:

  1. Miguel Salvado01 abril, 2008 13:17

    Sabes amigo Nuno, por mais exemplos que podemos dar de restauração a certo e determinado tipo de senhores, eles julgam-se sempre donos da verdade universal, da sabedoria dos céus e além. Não vale a pena falar nem sequer dialogar com esse tipo de personagens, e pura perda de tempo, garanto-te. Mas no fim é muito bom ver a cara de frustração desses intelectuais soberbos quando não levam a sua avante. Uma história conta-se preservando os seus verdadeiros valores, e não através da sua deturpação. Vandalizar a igreja de Valverde como alguns o querem fazer, a troco não se sabe bem de quê, traz sempre algo por detrás. O que é, não sabemos e julgo nunca saberemos o seu verdadeiro teor, porque nesta questão o bom senso irá e deverá prevalecer. Arranjar e restaurar toda a área circundante, a igreja e o campanário é algo de urgente. É pena a Junta não se manifestar com maior rapidez sobre esta polémica para de uma vez por todas resolver esta questão que já começa a fartar.
    O céu não pertence a estas pessoas que são meras personagens. fictícias na nossa evolução, mas às verdadeiras pessoas, áquelas que são humildes e que transmitem a verdadeira mensagem da humanidade: o bom senso.
    Abraço
    Miguel Salvado

    ResponderEliminar